24/07/16

Palhaço

2ª, 3ª feira,  4ª, 5ª, vai acabar, 6ª e cadê minha semana, o meu plano, o meu som?

E o palhaço aqui do circo já não tá mais tão contente, se é que um dia teve um sorriso pra chamar de seu.

O palhaço é o espelho do adulto que tropeça na cachaça da rotina e bebe sempre o mesmo terno.

E a criança é o sonho que a tristeza não existe e disseca o palhaço em pleno carnaval.

14/07/16

Gêmeos

Posso quando quero ver com esmero, sempre espero ser sincero, não me importa quando alguém me bate a porta.
Sempre que esse lado me domina traz consigo adrenalina por coisas que você nem imagina.
Desse pro berreiro não precisa de um navio negreiro de reza brava de reza de macumbeiro
Só precisa de uma variante no tocante da até então constante baqueta.

Pesou o clima, vamo embora tá estranho aqui.
Eu sei que eu tava mara, mas tudo muda meu bem.
Eu sou de gêmeos então tente nos entender
Ou dá um tempo e me deixe implodir e explodir.

27/06/16

Direções

À noite, sua.
Nós duas, cruas.
Prontas em qualquer direção.

A noite sua.
Você sussurra:
Vira as costas.
Deliro tonta, mordendo o colchão.

Me traduz em nova,
Lua cheia.
Sou só isso:
Papel em branco que espera sua caneta.

Me penetra em gozo,
Professor.
Te devolvo em dobro
Todo meu amor.

06/06/16

Lenha



Se pensa, fala. Abre a cara, deixa ver seus nós, só vale se se dá.
Se sente, conta e escuto atento enquanto o seu corpo me deixar.
Se acoste, venha logo. Temos tempo. A vida é lenha e queima devagar.


Esse tal nós pode ser
A extensão desses sós.
Xêro tal qual tu e eu
Abre as cortinas e os nós.

17/05/16

Decanta


Qual a forma que procura nas estrelas?
O brilho da primeira luz te basta? Te cega?
Ou seu nome é paciência, desejo, ardência?

O primeiro brilho te encanta,
Olha irreprensível o olho do fogo.
O primeiro brilho decanta
Em constelação.

Pronto pra mim, ti, eles, elas.
Para amanhecer contigo em primavera,
Ouvir de seus outonos com ternura e fazer verão
Com o que, quando criança, fiz inverno.

16/05/16

Twist and Cry


Thank you sister for sharing your heart,
For staying and leaving yet living with us.
I now declare we belong to outer us.
Our souls crashed, our ideas spoke to each other,
Our deepest fears mellowed in an ocean of tears.
Why was I crying? Wasn’t I just telling you a story about this sweet boy?
And how I wanted to become part of his family, for I have not my own,
And how I feared they wouldn’t find me special, like a teenager overthinking his first date?
Why were you crying? And holding me so strong? You never broke anyone’s heart, sister.
You are just one of a kind, you leave a deep impression and leave. River of what ifs.
Don’t feel bad for being so great, don’t feel sad when people don’t realize
One can’t live one’s life in disguise. 
Pretend there is no sameness to cope,
Pretend that all change isn’t just the hope 
That we will live forever.


Thank you darling for showing that part that everyone is trying to hide.
For speaking your heart and listening mine, 
For twisting hips together at savassi-brooklin,
For writing your first sweet song and letting me play along,
For fixing my lyrics and many overwhelming ideas that haunt me.
Anytime at all, all you’ve got to do is call and I’ll be there,
Either saying some cheesy-sexy crap, shall you need laugh
Or listening and crying along, when you long the idea of home.

Hóspedes